Como MEC alterou a regulação de EAD

fev 28, 2020 Sem categoria

Como MEC alterou a regulação de EAD

Em razão do constante crescimento da educação a distância no Brasil nos últimos anos, o Ministério da Educação se viu na obrigação de modicar algumas normas para cursos EAD. Para comprovar essa ascensão da modalidade a distância, vamos a alguns números: Atualmente no Brasil, são mais de um 1,3 milhões de estudantes matriculados em cursos EAD de educação superior. Vale ressaltar, que de 2010 a 2015, esse número cresceu 50%. Em paralelo a isso, existem no país aproximadamente 1.500 mil cursos de graduação superior disponíveis e esse número vem crescendo 10% a cada ano. Estes dados foram fornecidos por uma pesquisa realizada em 2015, pelo Censo da Educação Superior. Todo esse avanço no segmento, contribuiu diretamente para que, em junho de 2017, tenha sido publicado o decreto com as modificações na regulamentação. Oficialmente, o MEC alterou regulação de EAD.

Conheça as 3 principais mudanças quando o MEC alterou regulação de EAD:

Seja aluno, professor ou interessado na educação a distância, é importante estar atento as novas regras a partir do momento que o MEC alterou regulação de EAD.  Por isso, no artigo de hoje, listamos abaixo as 3 principais mudanças ocorridas para nova regulamentação.

1.      Instituições poderão oferecer exclusivamente cursos EAD

Antigamente, na regulação antiga, as instituições de graduação a distância eram obrigadas a possuir credenciamento, também, para cursos presenciais. Com a nova regulação, essa exigência caiu e as instituições poderão ser credenciadas apenas no segmento EAD.

2.      Não será mais necessária a aprovação para a abertura de polos EAD

A burocracia para abertura de novos polos exigia um longo período de tempo. Isto, de certa forma, retardava avanços que poderiam beneficiar alunos e instituições. Com a nova regulamentação do MEC, ficou mais simples. Agora, tudo será resolvido com um cálculo baseado nas notas dadas pelo MEC aos cursos. Dependendo de suas notas, as instituições terão direito a abrir um determinado número novos polos EAD sem a prévia aprovação do MEC.

3.      Será possível a oferta de cursos a distância para educação básica

Quando o MEC alterou regulação de EAD, as diretrizes para ofertas de cursos para educação básica ficaram mais flexíveis. Para o ensino fundamental, cursos poderão ser ofertados em casos especiais, onde o aluno está impedido de frequentar escolas presenciais. Já no ensino médio, e também no caso da educação profissional técnica de nível médio, as mudanças ainda estão acontecendo. O que sabemos é que as alterações deverão seguir as determinações do Novo Ensino Médio, porém, seus critérios ainda serão definidos pelo MEC e outras instituições e conselhos educacionais.

Quais os benefícios agora que o MEC alterou regulação de EAD?

Os benefícios são muitos, uma vez que, estamos caminhando rumo a avanços na educação a distância. Mais facilidades para os alunos, e consequentemente uma maior possibilidade de expansão para instituições. Entretanto, é interessante estar atento que, aliado a esse crescimento, deve estar a implantação de bons sistemas e plataformas de ensino online. Você gostou das mudanças quando o MEC alterou regulação de EAD? Deixe seu comentário aqui com a sua opinião.